motivar nossos alunos

Como motivar nossos alunos para a aprendizagem?

É comum ao ministrarmos aulas nas Séries Iniciais percebermos as crianças impacientes, desinteressadas nos conteúdos dados. Ouço professores se queixando que seus alunos não querem aprender, não se esforçam e só querem brincar.

Mas quantos anos tem mesmo esses alunos? 6, 7, 8 anos? Se eles não quisessem brincar então deveríamos nos preocupar. Antes as crianças entravam na escola com 7 anos e então se começava a ensinar letras e números, agora exigimos que crianças com 4 anos (na pré-escola) já saibam letras, consigam ficar sentadas e ainda se mantenham motivadas em aprender.

Nós professores sabemos como é importante a concentração para a aprendizagem, e como aquele conteúdo que estamos ensinando tem seu valor. Mas a criança não, ela não entende por que deve aprender sobre palavras escritas com x ou ch, sobre frações, sobre nomes dos estados….

Então cabe a nós, professores, engajar as crianças na aprendizagem de modo que elas se interessem. Vamos aproveitar a sala de aula para instigar as crianças e fazê-las terem gosto pelo aprender.

“[…] o ensino absorvido de maneira lúdica, passa a adquirir um aspecto
significativo e afetivo no curso do desenvolvimento da inteligência da
criança, […] ”.   (CARVALHO, 1992, p. 28)

Algumas dicas para motivar nossos alunos:

1. Dar sentido:

Ao inserirmos um novo conteúdo, é importante mostrar para nossos alunos em que momentos na vida prática iremos utilizá-lo. Exemplo, ensinar como saber fração, nos ajuda a fazer receitas, a dividir porções…

2. Instigar a curiosidade:

Nem sempre aquilo que aprendemos parece ter muito sentindo na vida prática para uma criança, então traga situações fictícias ou histórias que faça com que a criança se encha de curiosidade por aprender aquele assunto.

Ou invista em pesquisas de pontos interessantes sobre aquele determinado assunto. Isso além de ampliar o conhecimento ainda trás uma contextualização que ajudará a criança a se envolver na aprendizagem. Por exemplo: ao trabalhar nomes de rios, traga pesquisas ou peça para as crianças fazerem pesquisas sobre peixes exóticos ou características intrigantes de determinado rio.

3. Presença do lúdico:

Alterne em sua sala de aula momentos sérios de concentração com momentos de ludicidade. Podem ser brincadeiras dirigidas, ou momentos de jogos de tabuleiros feitos de sucata, leituras de gibis…

Esse momento lúdico pode ser algo dirigido ao conteúdo, como um jogo que você trouxe para fixar aquela aprendizagem. Ou apenas uma combinação de que aquelas crianças que vão terminando suas atividades com capricho podem pegar um jogo por alguns minutos.

Essa combinação de que ao final de um trabalho, as crianças ficam livres para serem crianças. Faz com que elas aumentem seu desempenho e concentração nas atividades, mesmo naquelas não consideradas divertidas. Pois sabem que quanto antes prestarem atenção, ficarem em silêncio e baixarem a cabeça para terminar a atividade, mais tempo terão para brincar. E muitas vezes, nas séries iniciais, não demos valor aos momentos de brincadeira.

4. Propondo desafios diários:

Essa estratégia tem relação com a anterior, pois insere o lúdico para nos ajudar a reforçar um conteúdo. Monte vários momentos de desafios durante a sua rotina.

a) Pode-se ter cartões com desafios feitos pela professora, os quais as crianças pegam ao final de uma atividade para tentarem resolverem (escrever 5 palavras com x, resolver um problema matemático, escrever uma pequena história sobre….). Esses cartões podem ser usados para fazer desafios orais entre equipes na sala de aula.

b) Crie desafios de quem consegue resolver questões com maior rapidez, quem consegue escrever mais palavra….

c) Use estratégias de jogos de perguntas, em que uma equipe deve responder mais rápido do que outra.

d) Desafios de pesquisas na biblioteca ou sala de computador de qual equipe encontra as respostas e conceitos mais rápido.

O objetivo dos desafios é estimular a criança a querer buscar as respostas e não uma competição de quem é o melhor. Assim tome cuidado para não incentivar essa concorrência entre as crianças. pois fará com que os que demoram  se desmotivem. Se você deseja premiar de algum modo as equipes vencedoras, faça com estrelinhas, adesivos e coisas simples.

Dê prêmios as equipes e nunca ao indivíduo. E vá misturando as equipe durante o ano, assim todas as crianças terão chances de vencerem algumas vezes. Reforce que se a equipe perdeu, em outro momento ela poderá ganhar. Pode-se fazer um esquema de pontuação que vai se somando durante a semana, assim incentiva as crianças que perderam a se esforçarem no próximo desafio.

Espero que essas dicas ajudem vocês as motivarem a maioria dos seus alunos.

Abraços, Shana Conzatti

Comments

comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *