conversando com pais

Conversando com pais na escola: problemas e soluções

Quando situações complicadas acontecem em sala de aula (mal comportamento) ou percebemos dificuldades no desenvolvimento é sempre difícil de lidar com os pais. Assim reuni algumas dicas para quando estivermos conversando com pais sobre esses problemas.

Essas dicas valem para uma conversa mais informal na porta sala de aula, ou em reuniões marcadas para discutir o assunto.

Primeiro lembre-se que diante dos olhos dos pais, seu filho é um tesouro. E ninguém gosta de ouvir que aquela criança que amamos esta se comportando mal ou apresenta alguma questão delicada em seu desenvolvimento.

Sempre que for fazer uma reunião com os pais sobre assuntos difíceis, peça apoio e a presença de alguém da coordenação ou direção. Assim você se protege de possíveis pais irritados que acham que você esta perseguindo seu filho. E as combinações feitas durante a reunião, poderão também ser cobradas dos pais pela coordenação.

Vamos as dicas!

Conversando com pais: problemas de comportamento

  1. Saliente primeiro algo positivo no comportamento dessa criança.
  2. Relate situações ocorridas e como essa criança se comportou de modo inadequado na situação. Tenha cuidado para não dar juízos de valores.
  3. Acalme os pais que essas situações de mal comportamento podem ser circunstancial. Esta acontecendo agora, mas não significa que marca seu filho como alguém ruim ou descontrolado. E que nessa faixa etária, as vezes, tais comportamentos acontecem.
  4. Questione os pais se eles percebem esse mesmo comportamento em casa. Se sim, como eles agem diante disso. Caso digam que não, saliente que as crianças se comportam diferente na escola e em casa, que isso é um processo normal.
  5. Tente negociar com os pais como irão lidar com a situação apresentada. E faça combinações com eles. Se irão conversar, organizar um castigo.
  6. Ao final  acalme os pais, dizendo que você esta junto com eles para ajudar o filho deles e que os irá manter atualizado da situação.
  7. Mantenha o diálogo com esses pais, para ver se eles sentem alguma mudança no comportamento da criança e para fazer novos ajustes quando necessário.
  8. Se o comportamento tiver melhoras, comunique aos pais. Mesmo que sejam melhoras pequenas. Para mostrar aos pais que você valoriza os esforços feitos por eles e pela criança.

Essas são dicas para uma primeira ou segunda reunião sobre o assunto. Essas conversas com os pais visam ter o apoio dos pais para resolver a situação. Mas se o caso se agravar e os pais não colaborarem. Então será importante fazer uma reunião mais incisiva.

Nesses casos, diga o que você tem tentado fazer para resolver o problema e comunique que tipo de sanção será realizada se os pais não ajudarem.

Conversando com pais: problemas no desenvolvimento

Nestes casos, sempre que possível, leve juntamente para a reunião apoio técnico.

  1. Comece falando das coisas que a criança consegue fazer. E conte situações positivas.
  2. Então questione os pais se eles perceberam que a criança age de determinada forma (parece não ouvir, vira a cabeça para ver algo, tem dificuldade em pular, sua fala é enrolada…)
  3. Independente dos pais dizerem sim ou não, entre no assunto. Conte quais situações você percebeu que a criança apresenta dificuldade. Sempre falando do comportamento, e nunca julgando a criança.
  4. Explique aos pais de modo objetivo que tal comportamento/habilidade é adquirido em tal idade, ou seja, que o filho deles está apresentando algumas dificuldades nesse aspecto.
  5. Nunca afirme seu filho é autista, é surdo, é hiperativo. Apenas mostre que a criança esta apresentando tais dificuldades e que é importante que ela seja avaliada por um profissional da saúde.
  6. Tranquilize os pais que você só quer o melhor da criança, e que o quando antes as dificuldades forem trabalhadas melhor será o desenvolvimento dessa criança.
  7. Reforce com os pais a importância dessa segunda opinião, e remarque uma nova conversa para depois dessa avaliação.
  8. Se os pais se mostrarem relutantes, fique reforçando a importância dessa avaliação. Quando encontrá-los e comente as coisas que seu filho perdeu de fazer por causa de sua dificuldade. (ele não quis contar uma história hoje, por vergonha da sua fala diferente).
  9. Quando a criança tiver um diagnóstico, volte a chamar os pais. Juntamente com estes elabore estratégias de como irão lidar com essa criança para que ela tenha o melhor desenvolvimento possível. Se for possível, peça uma reunião em conjunto com o profissional que fez a avaliação ou que pelo menos este envie algum material para ajudar você e os pais.

Gostou das dicas? Comente aí embaixo, que outras estratégias você usa.

 

 

Comments

comments

2 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *